After Action Report Medieval 2: Veneza – Parte 5

  1. Bem vindo à família, Luchino de Luca. (1190 – 1204) (http://imgur.com/a/ZYPTB)

O quadro da família Selvo na República veneziana era de total homogeneidade. Como a maioria dos filhos eram homens o nome Selvo continuou por quase um século intacto. A primeira mulher crescida, filha do Doge Bartolomeu, se casa com um general de outra família italiana, apesar de o Conselho dos Anciãos ter pedido que ela se casasse com outro Selvo, primo dela.

As cidades do norte da Itália estavam sendo governadas por Selvos, então Luchino não teria espaço no âmbito político local. Para não ser um peso morto na República, o Doge Bartolomeo envia Luchino para comandar tropas no front de batalha germânico, nos Alpes, na fronteira com Berne.

Sua primeira conquista significativa para a República se dá na batalha por Berne. O castelo estava fracamente segurado, mas a posse desse assentamento era de importância estratégica para enfraquecer o miserável Sacro Império Romano.

Em sua governança de Bern ele modernizou armaduras e fez construções de treinamento para sargentos e lanceiros blindados (Armoured Spearmen).

O Ducado de Milão ainda subsistia com pouca força. A França parecia não ter interesse em derrotá-los, pois se assim o fizesse teria que lidar com germânicos. Milão era a única facção que fazia essa cortina entre França e HRE.

A pedido de Luchino de Luca, Doge Bartolomeu envia milícias italianas para Berne e assim ele parte para a cidade sob domínio milanês, Dijon. Lá acontece a maior batalha entre Milão e Veneza já vista durante todos esses anos. O quadro parece realmente uma verdadeira guerra civil entre dois povos de culturas parecidas e uma mesma etnia. A vitória é da República.

Com Dijon ocupada, Milão só existe porque o Duke Catelano está enclausurado no castelo de Metz com algumas de suas milícias. Na verdade ele já estava lá. O grosso do seu exército estava nos territórios franceses, mas ao ver que Dijon iria cair, as tropas vieram ao resgate da cidade, inutilmente.

Rapidamente, no mesmo ano, milícias italianas vão na frente de Luchino para levantar cerco, pois este não podia sair da cidade naquele momento. 1 turno depois, chegando lá, o capitão passa o comando das tropas para Luchino que inflige ataque e vence a batalha e a guerra contra Milão. Importante lembrar que ele é como um estrangeiro na família, mas com certeza já ganhou a afeição de seu sogro, Doge Bartolomeu, que morreu poucos anos depois de ver a destruição de Milão.

 

2.  Pascal Selvo e o problemático front húngaro. (1194 – 1212) (http://imgur.com/a/CXDZK)

Depois que o general húngaro Czriak atacou uma tropa veneziana a caminho de Viena, para combater no front germânico, as relações entre Veneza e Hungria nunca mais foram as mesmas. O governador Pascal Selvo, de Zagreb, se prontificou para sair em busca dos traidores da República.

Juntando-se com as tropas atacadas, a batalha entre Pascal Selvo e Cziriak se deu dentro de território húngaro, o que ficou mal visto pelo papa. Cziriak foi morto por sargentos lanceiros em uma carga de cavalaria que ele mesmo deu sob as lanças venezianas. Uma forma estúpida de morrer, mas não menos digna para um estúpido a serviço de um país traidor.

A região de Viena está altamente instável por causa da proximidade da capital Budapeste. Muitas tropas húngaras vêm tentar a sorte de capturar a região, mas são prontamente repelidos pelas tropas de Pascal, que deixou seu posto em Zagreb para lutar pela República em Viena.

Um outro general de alguma importância para a Hungria, de nome István, foi interceptado por tropas vindas de Ragusa ao encontro de Pascal em Viena. As tropas, sem general, constando apenas com um capitão novato, foram derrotadas vergonhosamente. István não é qualquer um. Ele possui bons atributos precisa ser combatido com um outro general com bons atributos também.  Nessa batalha a Hungria deu liberdade aos 154 prisioneiros, sem seqüelas.

Pascal Selvo, porém, não poderia deixar aquela derrota manchar o nome da República. Ao juntar as tropas experientes de Viena, ele vai ao encontro de István, que perece em campo de batalha, enquanto Pascal continua triunfante.

 

3. Gerardo pode até ser considerado louco, mas ele vai herdar um Império. (1198 – 1206) (http://imgur.com/a/hh2NS)

Gerardo, “The Mad”, como assim é conhecido, conquistou a cidade de Viena. Essa que é motivo de tanta disputa pelos húngaros e germânicos. A primeira idéia era conquistar a cidade de Praga, mais ao norte, porém o seu contingente não seria capaz de defendê-la mais tarde.

Gerardo é filho do Doge Bartolomeu. Residia em Milão e foi governar Zagreb por um curto espaço de tempo. Depois de Viena a sua sede por conquista era pelo castelo de Innsbruck, onde estava o famoso Otto Von Kassel, um general conhecido na Europa. Dentro do pequeno castelo estava lotado de soldados, o que representava um grande entrave para a conquista.

Gerardo, o Louco, estava confiante que as tropas mandadas por Antonio Selvo de Bolonha. Na batalha elas se mostraram de imensa ajuda. Não foi fácil, muitos patriotas morreram, mas nada se compara a glória conquistada por extirpar  os malditos germânicos próximos da Itália.

  • A Segunda Cruzada; os filhos de Cristiano Selvo; o fraco Doge Benasuto triunfa no final (1204 – 1220) (http://imgur.com/a/LvcFB)

A Cruzada foi requerida pelo próprio papa Simão, o Missionário de Veneza. Seu objetivo era que os católicos conquistassem a cidade do Cairo, cidade esta bastante rica e grande com um número elevado de islâmicos. Veneza é a única facção a levar o catolicismo além de Constantinopla. O seu legado chega até a Geórgia e Armênia.

No mesmo ano em que a cruzada é declarada os muçulmanos turcos declaram guerra ao atacar o castelo de Trebizond. Suas intenções belicistas não eram segredo para ninguém, entretanto por causa da França, a República não os exterminou da face da terra, pois essa ao se aliar com os infiéis, sendo também minha aliada, fez com que os soldados venezianos cancelassem suas intenções de ataque a qualquer região, mas agora eles que começaram, não há desculpa.

Ao invés de a comunidade católica se unir nesse momento glorioso que é a Cruzada, a França preferiu cancelar aliança com a República do que com os muçulmanos, que só possui um único território no Iraque, que é a cidadela de Mossul.

Cristiano, The Honourable, Selvo ainda vive seus dias de glória da cruzada contra Antióquia. E mais uma vez ele adere a vontade papal e participa da Segunda Cruzada como forma de nunca apagar a glória que ele conquistara em um passado não tão distante.

Ao aderir a cruzada ele sai de Damasco diretamente para a Turquia, aproveitando a onda de tropas baratas para atacar os turcos. Seu primeiro cerco se dá no castelo de Cesária, que está fracamente segurado pelas forças turcas. Lá se encontrava o Príncipe Shaban, que pereceu nas lanças milicianas. A vitória foi imediata.

O segundo general a aderir a cruzada é Lenuzo Selvo, governador de Constantinopla. Ele quem avistara, anos antes, tropas turcas indo em direção a cidade de Nicéia. Agora é hora de se redimir com Deus e com a República.  Ele marcha em direção a Iconium, em que encontra o príncipe Cerrâh, irmão de Shaban que foi morto em batalha. Cerrâh tem o mesmo fim que seu irmão.  Lenuzo é filho de Cristiano Selvo. Enquanto seu pai triunfara mais ao leste, o filho triunfa a oeste. O espírito guerreiro está no sangue!

Simão Selvo, filho de Cristiano Selvo (também!), adere a Cruzada, mas esse parte para o Norte da África, que conqusita a Argélia, sob domínio mouro.

Anos depois da saída de Cristiano Selvo de Damasco, o povo que lá residia se sentindo encorajado pela sua ausência, libertou-se do poder da República e voltaram a ser independentes, mas isso não durará muito tempo. O cabeça dessa revolta, ironicamente foi um capitão veneziano, talvez por sede de poder e inveja do que os Doges e Councillors conseguiram fazer em tão pouco tempo.

Cristiano Selvo já está velho, mas não cansado. Depois da conquista de Cesária e Iconium, ele volta com suas tropas para o Oriente Médio e repele um ataque a cidade de Antióquia, por parte das tropas egípcias. Após isso ele parte para a cidade do Acre, onde conquista por pouco. E nesse castelo ele tem seu último suspiro de vida. Morreu naturalmente em 1216.

Cristiano Selvo, talvez, foi o maior general do qual a primeira geração já teve. Ele é filho do Doge Domenico. Foi governador de Iraklion. Conquistou Rhodes, Nicósia, Nicéia, Antióquia, Adana, Alepo, Damasco, Cesária e Acre. Teve 4 filhos homens, e 4 netos.

Enquanto a Cruzada acontecia as facções da Hungria e da Sicília foram excomungadas. Em relação a Hungria não é nenhuma novidade, para quem trai os aliados. Em relação a Sicília, nada a declarar. A República sempre estará do lado do papado, e se a Sicília é sua inimiga, nós também somos.

A França, como já havia cancelado a aliança desde que os turcos nos declararam guerra, atacaram a cidade de Dijon, mas depois desistiram. O temor de ser excomungado e gerar revoltas generalizadas em suas cidades é maior que a vontade de querer tomaras terras venezianas.

Falta apenas um personagem nessa história toda para completarmos essa parte. O nome dele é Benasuto Selvo, ou melhor dizendo, Doge Benasuto. Quando seu pai era Doge ele foi o seu Councillor. Nunca se envolveu em nenhum conflito. Foi governador de Gênova por muito tempo. Quando o papa havia declarado a cruzada, o objetivo era que o líder, ou seja, o Doge participasse ou caso contrário a República seria excomungada. Quando Doge Bartolomeu falece na costa italiana, por causas naturais, o seu filho é que fica encarregado de não decepcionar o papa e ir para o Egito.

O fraco Doge juntou algumas tropas milicianas e foi ao encontro da cidade do Cairo. A cidade estava parcamente protegida devido as tropas egípcias terem concentrado seus exércitos em Baghdad ou porque não tinham dinheiro para fazê-las devido o bloqueio de todos os seus portos.

Doge Banasuto conquista a cidade sem problemas e doa ao papa, como forma de apreço e também por querer evitar gastar dinheiro com revoltas. Ao invés disso foi mais lucrativo conquistar Alexandria, que possui portos.  O Doge agora está alocado na terra santa. O que ele irá fazer daqui pra frente, se irá se envolver militarmente em alguma operação, não sabemos ainda.

 

4. Pormenores (http://imgur.com/a/qmSFa)

– 6 mercadores saíram de Iraklion para o Oriente Médio, onde tentarão ganhar a vida.

– Os mouros não desistem de tentar capturar Ajácio. Além disso, um barco deles foi afundado na costa de Gênova com várias tropas.

– Os mouros e os Estados Papais finalmente entram em guerra. Era inadmissível que os mesmos fossem aliados.

– A Inglaterra também foi excomungada (motivos desconhecidos).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s